Tribuninha e a Turma da Bandô








Domingo foi dia de São Francisco de Assis (4 de outubro), o santo protetor dos animais. Pois bem, aproveitando a data, vou contar um pouco de uma experiência interessante, que une afeto e jornalismo. Em maio de 2002, quando retornei de férias para a Tribuna Impressa, de Araraquara, meus colegas e amigos no trabalho tinham acabado de "recolher para a calçada do jornal" uma gatinha de cor rajada de preto e cinza (ela estava no canteiro central da avenida Bento de Abreu, em frente ao jornal). Apesar dos meus apelos para que alguém a levasse para casa, quando vi - alguns dias depois - ela já tinha sido levada para o quintal do jornal. Num final de tarde, encontrei uma roda de pessoas em torno de algo: adivinha?? A própria gatinha. Como adoro gatos, tentava evitar adotar mais um... por isso queria que alguém a levasse para casa.
Bom, já tinham dado até nome: Bandô (de abandonadinha). Reiterei que a levassem e me virei para voltar à minha sala quando a Bandô simplesmente me seguiu, feito um cãozinho. Bom, quem me conhece já sabe da história.
Claro que o diretor do jornal não queria, mas abriu uma exceção. O AC realmente é meu amigo e uma pessoa que prezo demais.

A Bandô ficou no jornal por dois anos. Durante o dia ela dormia no forro do prédio e à noite descia para brincar e comer. Na madrugada, quando chegavam os motoqueiros da entrega, os guardas do jornal a fechavam na minha sala, onde tinha água, leite, ração, areia sanitária e uma caminha (mas ela preferia a cadeira para dormir). Bem pela manhã, antes dos funcionários chegarem, ela voltava para o telhado. Só descia um pouco quando ouvia o barulho do meu carro. Aí ela ia me cumprimentar.
(A foto noturna em que ela aparece no telhado, com lua e planeta, foi tirada em Pederneiras.)
Claro que há histórias hilárias, como quando ela resolveu passear pelo jornal pouco antes da visita de um político (também ele resolveu ir lá à noite) importante. E olha, pegar gato quando ele não quer ser pego, é uma missão impossível... Imagine o baile que foi... Mas todos se salvaram.
Geralmente, à noite, ela fazia companhia pra turma que ficava pro fechamento, dava e recebia carinho: passeava pela redação, pela minha sala e pela recepção, onde ficavam os guardas. Um pouquinho de atenção para cada um. Quando cansava, ia deitar sobre o monitor do meu computador e me fazia companhia.

No final do expediente lá ia eu brincar um pouco, jogar bolinhas de papel, essas coisas... Às vezes ficava mais de hora brincando com ela.
E assim foi, até que, alguns meses depois, resolvemos criar o caderno infantil. Não queríamos apenas dar-lhe o nome do jornal no diminutivo, como geralmente ocorre. Daí surgiu a ideia de criar a Turma da Bandô. Várias pessoas participaram e, enfim, foi publicado o caderno infantil Tribuninha e a Turma da Bandô. No último domingo vi que o caderno chegou à sua edição de número 300. Parabéns ao pessoal.

Quando saí da Tribuna, em fevereiro de 2004, a levei comigo para a casa da minha mãe. Hoje ela continua em Pederneiras, mimada e folgada, dona do pedaço, e eu estou um pouco mais longe, em Araçatuba. Mas a vejo a cada 15 dias...
Posto acima fotos dela hoje, bem recentes mesmo, e a personagem que lidera a Tribuninha.
Hoje ela tem seu próprio blog e interage com a criançada. Escreve cartas e vive situações e aventuras diversas...
Nem preciso dizer que sou apaixonada pelas duas: a real e a personagem.
Dê uma olhada no blog da Turma da Bandô: http://blogtribuna.com.br/TurmadaBando/
Pelo perfil no blog, dá pra ter uma ideia de como era a Bandô que inspirou a personagem:

Quintal da Bandô
Quem é a Bandô?

Bandô é a gatinha da Tribuninha. Ela é a líder da turma que é formada por mais cinco bichos espertos e divertidos: Tato (sapo), Tomi (tartaruga), Aurélio (coruja), Clara (cachorra) e Zé (guaxinim).
Bandô é alegre e cheia de energia. Adora brincar, cantar, ler, assistir a filmes e ajudar os amigos. Essa gatinha tem sempre uma boa ideia para reunir a galera e fazer a maior festa.

10 comentários:

blogdozemarcos.com disse...

::: Poxa, Maria, que história linda! Os animais se aproximam das pessoas que gostam deles e sentem em quem podem confiar.

Luci Neide disse...

Que linda historia Maria!!! Adoro gatos, tivemos um com uma historia de abandono também, infelizmente, não esta mais com a gente, pois em uma noite saiu e não voltou mais. Mas o tempo que ficou com a gente foi muito amado e mimado. Quem sabe um dia possamos ter outro. Bjs.

Ayne Regina Gonçalves Salviano disse...

Acho que você vai gostar da capa do Vida de amanhã...

Blog do Cláudio Henrique disse...

Que legal, Maria. Quem ama os animais também ama a Deus e suas obras.

Gata Lili disse...

A Bandô é simplesmente linda1 E viva os animais! E viva São Francisco! miaaauuu...

Marcia Ceschini disse...

oi Maria,

que legal conhecer seu blog e ver a história da Bandô e conhecer a própria por fotinho.
Parabéns pelo blog.Um abraço. Tudo de bom.

Marcia

Eloisa disse...

Ahá! Atendeu meu pedido de pôr a Bandô e a lua, né? Muito linda essa foto, Maria. Demais...

Ágatha Urzedo disse...

Que criaturinha mais fofaaaa... Gente, a Bandô é irmã gêmea da minha gatinha Paris! Até no comportamento... rsrsrs... Que São Francisco sempre proteja esses bichinhos tão amados. A propósito, parabéns pelo blog, Maria. Tá uma graça... Ahhh, e poste mais sobre a Bandô, e também sobre a Graciosa - tadinha, deve estar com ciúmes - para a gente acompanhar as peripécias desses "anjinhos" peludos.

Maria Antonia disse...

Agatha, você acertou: a Graciosa está com ciúme da Bandô. rsrsr Vou postar uma foto dela também.

Maria Antonia disse...

Agatha, você acertou: a Graciosa está com ciúme da Bandô. rsrsr Vou postar uma foto dela também.